A ATUAÇÃO DO GESTOR ESCOLAR FRENTE AO FENÔMENO DAS MÍDIAS SOCIAIS: MODALIDADES, LIMITES E POTENCIALIDADES – MARCUS GARCIA

ÓPERA A / 11/09/2017/ 9h/PALESTRA

Site do autor: www.marcusgarcia.com.br

Professor Marcus Garcia é palestrante, pedagogo, mentor, pesquisador em educação e tecnologias educacionais, escritor e autor, especialista em Gestão do Conhecimento com Mestrado em Ciência, Gestão e Tecnologia da Informação. Um dos palestrantes mais requisitados em todo o Brasil. Atuante em formação contínua para docentes e gestão na área educacional. Especialista em inteligência emocional, gestão de pessoas e relacionamento humano nas organizações. Atua na área de educação e empresarial há 34 anos e tem dezenas de livros e artigos publicados.

MAIS SOBRE O AUTOR:

Transformando pela gestão
Papéis da gestão
Conduzi recentemente um pesquisa estimulada de percepção junto à diretoria de várias empresas do ramo de serviços em Curitiba e demais municípios da Região Metropolitana com a seguinte questão: O que torna as equipes produtivas? Os resultados obtidos são reveladores e passam pelos seguintes pontos fundamentais:
a) clara definição de papéis;
b) eficácia da gestão;
c) força (engajamento) das equipes;
d) desempenho individual;
e) estratégias bem definidas;
f) realização de feedbacks eficazes;
g) sistema de governança efetivo e legítimo;
h) reconhecimento do potencial de cada um.

Ótimo colega, péssimo gestor (a)
Gestão, não é arte, mas técnica!

Tenho observado uma grande quantidade de excelentes especialistas (das mais diversas áreas) que conseguem um desempenho excepcional em suas funções (enquanto especialistas) e por causa disto são promovidos(as) para uma posição de gestão (ou liderança técnica como algumas organizações preferem chamar). Porém depois que assumem suas funções como gestor(a) revelam-se péssimos(as) nisto. É a síndrome do(a) excelente especialista que vira um(a) péssimo(a) gestor(a).

Gestão não é arte

Sabe porque isto acontece? Por que a gestão não é como muitos podem pensar, “a arte de saber mandar”. Primeiro que gestão não é arte, mas sim domínio de competências técnicas e atitudinais voltadas para o exercício deste importante papel e segundo porque o(a) gestor(a) antes de mais é o(a) primeiro(a) responsável pelo resultado de sua equipe, e muitos(as) não entendem desta forma. É então que começa a instalar-se o caos: ruídos de comunicação, transferência de responsabilidade, relacionamento interpessoal problemático, atividades burocráticas (necessárias) que não são feitas de forma adequada, procedimentos administrativos negligenciados, em suma: um desastre!

Hora de agir!

Você precisa preparar melhor seus(suas) gestores(as) em todos os níveis para exercerem melhor seus papeis dentro da organização? Vamos preparar uma Formação Contínua para eles(as)? É muito simples, preencha o formulário a seguir informando os dados solicitados que ligarei para você e esclarecerei suas dúvidas. Ao preencher você receberá em seu e-mail o artigo com o resultado da pesquisa que comentei no início. Você verá o quanto isto poderá trazer um grande diferencial para a atuação dos profissionais de sua organização.